HOME

religião

Mircea Eliade | 6 livros para baixar

Mircea Eliade (1907-1986) foi um notável estudioso romeno das religiões. Fez uma divisão da vida simbólica em dois grandes campos opostos entre si: o Sagrado e o Profano. É considerado um dos mais importantes pesquisadores da Antropologia da Religião. Eliade afirma ainda que “o sagrado e o profano constituem duas modalidades de ser no mundo, ou seja, duas situações existenciais diferentes assumidas pelo homem ao longo da sua história”. Nas sociedades tribais estão ... Leia Mais >>

Antropologia da Religião | 17 livros para baixar

A Antropologia da Religião, em suas fases iniciais, dedicou-se ao estudo da mitologia dos “povos primitivos”. Este inicio se deu através do ponto de vista do “homem civilizado”, que entendia a si mesmo como integrante de uma cultura mais evoluída — estando os demais povos em estado de infantilidade cultural e espiritual. A palavra “mito”, então, pelo menos para os antropólogos modernos, perdeu o sentido de “crenças dos povos antigos” e assumiu a ideia de que ... Leia Mais >>

Krishnamurti: as religiões nascem do medo

Neste vídeo, o filósofo indiano Jiddu Krishnamurti (1895-1986) argumenta que as crenças têm como base algum tipo de medo. Diante de um mundo que nos assusta a todo momento, a crença seria um refúgio que nasce desse temor. Porém, para examinar seriamente a questão da existência de Deus, é necessário se despir do medo e consequentemente da própria religião. Segundo Krishnamurti, qualquer religião é um abrigo contra o medo da morte e do sofrimento. Elas não teriam relação com ... Leia Mais >>

Para que serve a Filosofia?

Vivemos uma cultura utilitarista, então, esta é uma pergunta natural: “Para que serve a Filosofia?“. A Filosofia é útil, porém, de uma forma diferente do que espera o senso comum. Sua “utilidade” está no desenvolvimento da razão, da interdisciplinaridade e da autonomia. A Filosofia exige reflexão, estudo constante, domínio da linguagem, diálogo, conhecimento de lógica e experiência de vida. No entanto, essas também são características exigidas de muitos ... Leia Mais >>

Pseudoprofundidade: o teatro da mentira

Pseudoprofundidade é uma forma de falar coisas óbvias como se fosse algo profundo e revelador. Apesar de não se tratar de uma falácia — mas sim de uma habilidade teatral — a pseudoprofundidade costuma caminhar lado a lado com as falácias, pois é uma forma de camuflar argumentos incoerentes com falso revestimento de “sabedoria profunda ou divina”. Muitos líderes religiosos, políticos e gurus (espirituais e corporativos) são especialistas nesta estratégia. Normalmente é ... Leia Mais >>

Falácia do argumento divinizado

“Deus disse, logo é inquestionável!”. Esse é um típico exemplo de argumento divinizado, uma versão religiosa da falácia do apelo à autoridade. Ainda hoje milhares de pessoas aceitam esse tipo de argumento, pois envolve fatores que prejudicam o bom uso da razão. Líderes religiosos desonestos (de qualquer religião) utilizam a mesma estrutura formal para dar autoridade ao seu argumento: “a Escritura Sagrada declara x, logo é certo afirmar y!”, em que y é a ... Leia Mais >>

Filosofia, religião e religiosidade

Existem diferenças entre filosofia, religião e religiosidade, ainda que estas três coisas estejam conectadas.  Se eu sou religioso, é importante saber que existem outros povos com tanta fé quanto eu em coisas diferentes. Devo aceitar o fato da diversidade, coisa difícil para um religioso dogmático. Os adeptos de grupos radicais islâmicos acreditam que as sociedades ocidentais estão equivocadas e que deve-se matar quem ofende o profeta Maomé (isso é de fato um problema) . No ... Leia Mais >>