HOME

Van Gogh: biografia e 1.300 imagens para ver e baixar

Vincent van Gogh autoretrato

O pintor holandês Vincent van Gogh (1853 – 1890) é um dos artistas mais influentes do século XX. Atualmente seus quadros estão entre os mais caros do mundo, contudo, na sua época, seu estilo era considerado estranho e incompreensível.

Viveu na pobreza e na solidão; era sustentado pelo irmão Theo, um comerciante de arte que tentava vender as obras de Van Gogh sem sucesso. Durante toda sua vida, vendeu apenas um quadro.

Resumo biográfico


Vincent van Gogh - resumo biográfico

Van Gogh era filho de um pastor protestante. Boa parte de sua educação inicial foi recebida em casa. Desde criança demonstrou dons artísticos e foi incentivado pela mãe a desenhar.

Quando foi enviado à escola do vilarejo — e posteriormente para um internato —, não conseguiu se adaptar, escrevendo depois que esses foram os anos mais infelizes de sua vida. Apesar disso, aprendeu inglês, francês e alemão.

Na juventude, abandonou os estudos para trabalhar como comerciante de arte, porém, também não se adaptou. Aos 24 anos, decidiu ser evangelizador e estudou teologia em Amsterdã, mas abandonou o curso para trabalhar como missionário nas minas de carvão de Borinage, na Bélgica.

Contudo, o comportamento incomum desagradou seus superiores: distribuiu seus bens aos pobres, cedeu seu quarto para um sem teto e dormia em barracões. Acabou sendo dispensado. Seu pai ficou tão frustrado que queria interná-lo em um hospício.

Aos 27 anos, decidiu trilhar a vida artística. Durante dez anos, produziu cerca de 800 pinturas e centenas de desenhos. Seu grande apoiador foi o irmão Theo, único e verdadeiro amigo, com quem trocou centenas de cartas.

Posteriormente, essas correspondências contendo desenhos e ideias —, seriam valiosas fontes de informação sobre a vida e a obra do pintor holandês. A grande quantidade de cartas não é exagero; o hábito de escrever cartas era comum antes do telefone.

Van Gogh tinha surtos psicóticos, era paranoico e obsessivo. Ainda que tentasse manter relações de amor e amizade, seu comportamento afastava as pessoas. Sua breve amizade com o pintor Paul Gauguin é um exemplo disso: quando os dois discutiram, Van Gogh cortou a própria orelha.

Frequentemente, não lembrava dessas crises. Sua saúde mental foi agravada pelo estilo de vida insalubre: comia e dormia pouco, bebia e fumava muito. Alternava entre bom humor e depressão.

Preferia pintar paisagens e a vida no campo, onde sentia-se mais calmo. Porém, devido à personalidade instável, acumulou conflitos entre os camponeses, que o consideravam louco e perigoso.

Voluntariamente se internou no manicômio Saint-Paul de Mausole, em Saint-Rémy, onde pintou o último autorretrato e A Noite Estrelada. Seus últimos trabalhos utilizavam cores vivas e demonstravam preocupação com o movimento, expresso através de ondulações, e já representavam o amadurecimento do estilo emotivo que marcaria a arte do século XX.

Este estilo vibrante diferia de seus primeiros trabalhos, caracterizados por cores sombrias e terrosas.

Em julho de 1890, Van Gogh disparou um revólver contra a barriga. Estava trabalhando no campo e conseguiu retornar caminhando; foi atendido pelos médicos locais que não puderam lhe operar.

A versão do suicídio é controversa. Para muitos, Vincent foi atingido acidentalmente por dois conhecidos rapazes da região, mas disse que atirou contra si mesmo para protegê-los.

Morreu dois dias depois nos braços de Theo. Seis meses depois, Theo também faleceu, pois sua frágil saúde deteriorou após a perda do irmão, sendo enterrado ao lado de Van Gogh.

Van Gogh: a arte como emoção


Vincent van Gogh - a arte como emoção

Van Gogh é um exemplo de gênio trágico incompreendido. Pintava compulsivamente impelido por chama intensa e incontrolável. Suas pinceladas eram espontâneas e vigorosas, fazendo alguns quadros parecerem feitos com argila. Seu estilo negava imposições acadêmicas e expressava a necessidade de exteriorizar emoções.

Na época, o impressionismo era o estilo mais difundido: o artista deveria registrar sua primeira impressão da natureza, sugerindo ainda um método a ser seguido.

Van Gogh era o oposto disso. Fazia uso das cores de forma abstrata, não se guiando pela imagem observada, mas pela forma como sentia a realidade. Sua enorme produção sugere a necessidade de estar sempre pintando e desenhando percepções interiores, não se importando com as correntes artísticas de seu tempo.

Futuramente, críticos de arte classificariam Van Gogh como pós-impressionista, um movimento contrário às academias tradicionais. Sua contribuição foi resgatar a emoção como fonte fundamental de inspiração e criação, influenciando toda a arte do século XX.

Vincent van Gogh – 1.300 imagens para ver e baixar


Vincent van Gogh - arquivos para baixar

Autor: Alfredo Carneiro // Editor do netmundi.org

Sugestões de leitura


Navegue pelo netmundi.org


  1. Página Principal
  2. Livros para Baixar
  3. Músicas clássicas para ouvir e baixar
  4. Textos motivacionais
  5. Lista das falácias mais utilizadas
  6. Filosofia Antiga
  7. Filosofia Medieval
  8. Filosofia Moderna
  9. Filosofia Contemporânea
  10. Frases de grandes filósofos