HOME

Psicologia e Psicanálise | 170 livros para baixar

Psicologia e Psicanálise - 170 livros para baixar

Apesar da psicologia ser um ramo do conhecimento relativamente jovem, ela possui origens bem antigas. O “estudo da alma” remonta desde os primeiros filósofos gregos até as tradições mitológicas dos povos antigos — hoje consideradas valiosas fontes dos elementos mais profundos da natureza humana.

Foi por esse motivo que Hermann Ebbinghaus, um dos primeiros autores da moderna psicologia, afirmou que ela “possui um longo passado, mas uma história curta”.

A Filosofia e o conhecimento de si mesmo


Heráclito, o filósofo do fogo e da mudança, observou atentamente o comportamento humano e declarou que “o mesmo homem não se banha duas vezes no mesmo rio, pois outras serão as águas e outro será o homem”, porém, será apenas com Sócrates e os grandiosos diálogos platônicos que o pensamento filosófico irá se voltar definitivamente para a natureza humana.

A forma de dialogar de Sócrates — também chamada de maiêutica ou “parto das ideias” — consistia em uma conversa que iniciava com um elogio irônico e prosseguia com uma série de perguntas que revelavam que aquele que julgava saber, na verdade, sabia muito pouco tanto sobre o assunto abordado quanto sobre si mesmo.

Esse grande evento da história da Filosofia foi chamada de “virada antropológica”, uma vez que colocou a natureza humana no centro das investigações filosóficas, sendo Platão seu principal iniciador. Sócrates, o grande herói e mestre de Platão, afirmava que sua principal missão seria “conhecer sua própria alma”.

Desde então, a Filosofia percorreu um longo caminho até a moderna psicologia. Ainda que a Filosofia Medieval tenha colocado Deus como tema fundamental, a obra As Confissões, de Agostinho, é uma marcante exploração de si mesmo.

Psicologia versus Ciência


Descartes - Psicologia x Ciência

René Descartes, o maior filósofo da modernidade, estabeleceu o “eu racional” como a grande promessa da humanidade, influenciando tanto o método científico quanto a Filosofia Moderna. Essa tal racionalidade intrínseca do homem seria nossa maior promessa.

O próprio Descartes, convencido do poder de seu método racional, afirmou que “agindo assim, não existirá nada tão longe que não seja alcançado e nem tão encoberto que não seja descoberto”.

Como esperado, a promessa científica se estendeu a todos os ramos do conhecimento. Assim, o florescimento da ciência marcou definitivamente o estudo do comportamento humano.

Tudo parecia indicar que, finalmente, no desenrolar da Era Moderna, a conturbada natureza humana poderia ser compreendida pelo rigor do método científico.

Séculos depois, o próprio Freud, fundador da psicanálise, ainda tinha essa esperança com relação à ciência. Esperança essa que não foi compartilhada por futuros psicanalistas como Jacques Lacan.

Entretanto, apesar de marcar profundamente nossa história, no que tange à natureza humana a ciência não conseguiu gerar respostas satisfatórias para as causas do sofrimento psíquico.

Por isso existe um controverso debate sobre a Psicologia ser considerada uma ciência de fato.

A imprevisibilidade do ser humano, com suas dores e dilemas, parece resistir à ideia de que somos máquinas com defeitos a serem corrigidos.

O filósofo francês Michel de Montaigne, já no século XVI, havia percebido essa dificuldade e declarou que “a ciência é uma coisa maravilhosa, os que a desprezam demonstram estupidez. Ela não pode, contudo, nos tornar sensatos”.

O surgimento da Psicanálise


Freud - Psicologia é diferente da Psicanálise

Na Era Contemporânea devemos principalmente a Sigmund Freud a constatação de um fato desconcertante: a poderosa razão humana, valorizada ao máximo por Descartes e pela ciência, não seria tão poderosa assim.

Este “eu racional e consciente” de Descartes, na verdade, seria uma marionete nas mãos de forças inconscientes que direcionam nosso comportamento e nossas escolhas — que não seriam tão “racionais” quanto julgamos.

A Teoria do Inconsciente de Freud deu origem à Psicanálise, que se dedica principalmente ao estudo detalhado dos conteúdos inconscientes, seja através da interpretação de sonhos ou da fala do paciente com o intuito de tratar casos de histeria e neurose.

A psicanálise tornou-se um ramo independente da psicologia, tendo entre seus principais expoentes (além do próprio Freud) nomes como Carl Gustav Jung e Jacques Lacan.

A psicologia também se desdobrou, durante sua história, em várias perspectivas, como o Behaviorismo, Gestalt, e outras.

Psicologia e Psicanálise nos dias de hoje


Psicologia nos dias de hoje

A psicologia e a psicanálise, como foi dito, costumam ser criticadas por “não serem científicas”, sendo acusadas de “confusas” ou “impalpáveis”.

Contudo, apesar da ciência curar doenças e nos levar ao espaço, ela não consegue nos tornar sensatos, como percebeu Montaigne.

Talvez essa dificuldade ocorra porque, no estudo da natureza humana, o próprio sujeito se debruça sobre ele mesmo, tornando sua pesquisa eminentemente filosófica, enquanto as demais ciências trabalham com dados mais concretos.

Nesse sentido, o antipático filósofo Arthur Schopenhauer, que nunca pretendeu agradar ninguém, afirmou (no seu estilo elitista e desrespeitoso) que “os cientistas revelam uma ignorância de sapateiro para os problemas filosóficos”.

O filósofo alemão Friedrich Nietzsche também não poupou críticas à racionalidade extremamente valorizada da Era Moderna, e suas ideias influenciaram decisivamente Sigmund Freud, principalmente seus conceitos de Apolíneo e Dionisíaco, que ajudaram a delinear a Teoria do Inconsciente.

É normal que nossa cultura altamente tecnicista não aceite bem a Filosofia, entendida como algo que “não gera resultados”. E, consequentemente, o mesmo vale para a Psicologia.

É também curiosa a animosidade dos críticos da Psicologia. Faz lembrar a frase de Freud: “Quando Pedro fala sobre Paulo, sei mais sobre Pedro do que sobre Paulo”.

Porém, observando os conflitos do mundo e nossa própria experiência pessoal, faz sentido dizer que nunca precisamos tanto centrar nossos esforços no estudo do comportamento humano — ou na investigação da mente, se é que existe alguma diferença entre os dois.

Apesar da neurociência ser uma promessa, o que podemos esperar dela no que se refere ao autoconhecimento, às relações sociais, aos traumas e tensões inerentes à vida em sociedade?

No final das contas, a fé na ciência como solução dos enigmas da vida se assemelha à fé religiosa: um tipo de discurso que assume traços verdade absoluta.

A própria ciência não tem culpa disso, pois apenas segue seu caminho. A questão parece estar naqueles que acreditam nela sem entender o que ela é.

Por outro lado, a Psicologia e a Psicanálise sempre caminharam (de fato) lado a lado com os problemas e limitações da vida, buscando soluções para as causas dos distúrbios mentais e do sofrimento psíquico.

E para isso se utilizam da arte, da filosofia, da ciência, da literatura, das mitologias, da música e de tudo aquilo que parece resultar em algum progresso.

Os que desprezam esses esforços parecem apenas confirmar as suspeitas de Montaigne e Schopenhauer.

Por fim, por mais que a psicologia e a psicanálise “não sejam científicas”, isso não invalida os esforços daqueles que se dedicam a investigar a natureza humana e as dores da alma, que passam a vida tentando amenizar o sofrimento intolerável, afinal, pelo menos esses ainda seguem o bom e velho conselho de Sócrates: “uma vida irrefletida não vale a pena ser vivida”.

Autor: Alfredo Carneiro

Psicologia e Psicanálise | 170 livros para baixar


Coleção Passo-a-Passo Psicanálise


  1. Depressão e melancolia
  2. Mito e Psicanálise
  3. Freud e a Filosofia
  4. Sonhos
  5. Psicanálise com crianças
  6. A Sublimação
  7. A Transferência
  8. Para que serve a psicanálise
  9. O conceito de sujeito
  10. Lacan, o Grande Freudiano
  11. Teoria do amor na psicanálise

Sigmund Freud


  1. FREUD, Sigmund. História de uma neurose infantil, O homem dos Lobos e outros textos (1917-1920)
  2. FREUD, Sigmund. O futuro de uma ilusão
  3. FREUD, Sigmund. O mal-estar na civilização (1930)
  4. FREUD, Sigmund. O mal-estar na civilização: novas conferências introdutórias (1930-1936)
  5. FREUD, Sigmund. O mal-estar na cultura
  6. FREUD, Sigmund. Obras Completas – Vol. 01 (1886-1889)
  7. FREUD, Sigmund. Obras Completas – Vol. 02 (1893-1895)
  8. FREUD, Sigmund. Obras Completas – Vol. 03 (1893-1899)
  9. FREUD, Sigmund. Obras Completas – Interpretação dos Sonhos – Vol. 04 (1900)
  10. FREUD, Sigmund. Obras Completas – Vol. 05 (1900-1901)
  11. FREUD, Sigmund. Obras CompletasVol. 06 (1901)
  12. FREUD, Sigmund. Obras CompletasVol. 07 (1901-1905)
  13. FREUD, Sigmund. Obras CompletasVol. 08 (1905)
  14. FREUD, Sigmund. Obras CompletasVol. 09 (1906 – 1908)
  15. FREUD, Sigmund. Obras CompletasVol. 10 (1909)
  16. FREUD, Sigmund. Obras Completas – Vol. 11 (1910)
  17. FREUD, Sigmund. Obras Completas – Vol. 12 (1911-1913)
  18. FREUD, Sigmund. Obras Completas – Vol. 13 (1913-1914)
  19. FREUD, Sigmund. Obras CompletasVol. 14 (1914-1916)
  20. FREUD, Sigmund. Obras Completas – Vol. 15 (1915-1916)
  21. FREUD, Sigmund. Obras Completas – Vol. 16 (1915-1916)
  22. FREUD, Sigmund. Obras Completas – Vol. 17 (1917-1918)
  23. FREUD, Sigmund. Obras Completas – Vol. 18 (1920-1922)
  24. FREUD, Sigmund. Obras Completas – Vol. 20 (1925-1926)
  25. FREUD, Sigmund. Obras Completas – Vol. 21 (1927-1931)
  26. FREUD, Sigmund. Obras Completas – Vol. 22 (1932-1936)
  27. FREUD, Sigmund. Obras Completas – Vol. 23 (1937-1939)
  28. FREUD, Sigmund. Observações psicanalíticas sobre um caso de paranoia – obras completas, vol. 10 (1911-1913)
  29. FREUD, Sigmund. Psicologia das Massas e Análise do Eu e outros textos (1920-1923) Obras Completas Vol 15

Carl Gustav Jung


  1. JUNG, C. A Energia Psíquica
  2. JUNG, C. A Natureza da psique
  3. JUNG, C. Os Arquétipos e o Inconsciente Coletivo
  4. JUNG, C. Psicologia do Inconsciente
  5. JUNG_ REICH. O Segredo da Flor de Ouro
  6. JUNG, C O Homem e seus Símbolos
  7. JUNG, C. A Interpretação Psicológica do Dogma da Trindade
  8. JUNG, C. O Desenvolvimento da Personalidade
  9. JUNG, C. Psicologia e Alquimia
  10. JUNG, C Psicologia e Religião
  11. JUNG, C. Um mito moderno sobre as coisas vistas do céu

Jacques Lacan


  1. LACAN, J. O Seminário – Livro 1 – Os escritos técnicos de Freud
  2. LACAN, J. O Seminário – Livro 2 – O eu na teoria de Freud e na técnica da psicanálise
  3. LACAN, J. O Seminário – Livro 3 – As psicoses
  4. LACAN, J. O Seminário – Livro 4 – A relação de objeto
  5. LACAN, J. O Seminário – Livro 5 – As formações do inconsciente
  6. LACAN, J. O Seminário – Livro 6 – O desejo e sua interpretação | Parte 1 | Parte 2 |
  7. LACAN, J. O Seminário – Livro 7 – A ética da psicanálise
  8. LACAN, J. O Seminário – Livro 8 – A transferência
  9. LACAN, J. O Seminário – Livro 10 – A angústia
  10. LACAN, J. O Seminário – Livro 11 – Os quatro conceitos fundamentais da psicanálise
  11. LACAN, J. O Seminário – Livro 12 – Problemas cruciais para a psicanálise
  12. LACAN, J. O Seminário – Livro 14 – A lógica do fantasma
  13. LACAN, J. O Seminário – Livro 15 – O ato psicanalítico
  14. LACAN, J. O Seminário – Livro 16 – De um Outro ao outro
  15. LACAN, J. O Seminário – Livro 17 – O avesso da psicanálise
  16. LACAN, J. O Seminário – Livro 18 – De um discurso que não fosse semblante
  17. LACAN, J. O Seminário – Livro 19 – …Ou pior
  18. LACAN, J. O Seminário – Livro 20 – Mais, ainda
  19. LACAN, J. O Seminário – Livro 23 – O sinthoma
  20. LACAN, J. Escritos | Parte 1 | Parte 2 |
  21. LACAN, J. Outros Escritos
  22. LACAN, J. Nomes do Pai
  23. LACAN, J. Estou falando com as paredes
  24. LACAN, J. A Família
  25. LACAN, J. A Identificação

Juan-David Nasio


  1. NASIO, J.-D. A Fantasia
  2. NASIO, J.-D. Cinco lições sobre a teoria de Jacques Lacan
  3. NASIO, J.-D. Como trabalha um psicanalista
  4. NASIO, J.-D. O complexo do qual nenhuma criança escapa
  5. NASIO, J.-D. Introdução à topologia de Lacan
  6. NASIO, J.-D. Meu corpo e suas imagens
  7. NASIO, J.-D. O livro da dor e do amor
  8. NASIO, J.-D. O prazer de Ler Freud
  9. NASIO, J.-D. O silêncio na psicanálise
  10. NASIO, J.-D. Os Grandes Casos de Psicose
  11. NASIO, J.-D. Os Olhos de Laura
  12. NASIO, J.-D. Um psicanalista no divã
  13. NASIO, J.-D. Introdução às obras de Freud, Ferenczi, Groddeck, Klein, Winnicott, Dolto, Lacan

Slavoj Zizek

Slavoj Zizek - Psicologia e Psicanálise

  1. ZIZEK, S. Eles não sabem o que fazem – o sublime objeto da ideologia
  2. ZIZEK, S. Bem-Vindo ao deserto do real!
  3. ZIZEK, S. Como ler Lacan
  4. ZIZEK, S. O mais sublime dos histéricos – Hegel com Lacan
  5. ZIZEK, S. Primeiro como tragédia, depois como farsa
  6. ZIZEK, S. Um mapa da ideologia

B. F. SKINNER

Skinner - Psicologia Comportamental

  1. SKINNER, B. F. Ciência e comportamento humano Parte 1 | Parte 2|
  2. SKINNER, B. F. Sobre o behaviorismo
  3. SKINNER, B. F. O comportamento verbal
  4. SKINNER, B. F. Walden II – uma sociedade do futuro

Élisabeth Roudinesco


  1. ROUDINESCO, E. A Família em desordem
  2. ROUDINESCO, E. Lacan, a despeito de tudo e de todos
  3. ROUDINESCO, E. Dicionário de Psicanálise
  4. ROUDINESCO, E. Psicanálise é a medicina da alma do nosso século
  5. ROUDINESCO, E. Por que a psicanálise
  6. ROUDINESCO, E. De que amanhã
  7. ROUDINESCO, E. Mas porque tanto ódio?
  8. ROUDINESCO, E. A parte obscura de nós mesmos
  9. ROUDINESCO, E. A Análise e o Arquivo
  10. ROUDINESCO, E. História da Psicanálise na França vol 1
  11. ROUDINESCO E. História da Psicanálise na França vol 2

Félix Guattari


  1. GUATTARI, F. CaosmoseUm Novo Paradigma Estético
  2. GUATTARI, F. MicropolíticaCartografias do Desejo
  3. GUATTARI, F. As três ecologias

Biblioteca – Psicologia e Psicanálise


  1. Ana C. Figueiredo – Vastas confusões e atendimentos imperfeitos
  2. Anais do Campo Lacaniano – Os tempos do sujeito do inconsciente
  3. Andréa M. C. Guerra – A Psicose
  4. Angélia Teixeira (org.) – Especificidades da ética da psicanálise
  5. Antonio Godino Cabas – Curso e Discurso na Obra de Jaques Lacan
  6. Antonio Quinet – A estranheza da psicanálise – A escola de Lacan e seus analistas
  7. Antonio Quinet – As 4+1 condições da análise
  8. Antonio Quinet – Psicose e Laço Social
  9. Artigos de psicanálise – Revista do Departamento de Filosofia da USP
  10. BADINTER, E. – Um amor Conquistado – O mito do amor materno
  11. BETTELHEIN, Bruno. – A Psicanálise dos Contos de Fadas
  12. BIRMAN, Joel. – Cartografias do feminino
  13. BOCK, A. – Psicologias
  14. BRENNAN, Teresa (org). – Para Além do Falo – Uma Crítica a Lacan
  15. CALLIGARIS. – Introdução a uma clínica diferencial da psicoses
  16. Campo Psicanalítico – O saber do psicanalista
  17. CASADORE, Marcos. Sándor Ferenczi e a Psicanálise
  18. CASTORIADIS, C. A instituição social história – o indivíduo e a coisa.
  19. Chrstian Metz – O significante imaginário – Psicanálise e Cinema
  20. Claude Jaeglé – Retrato silencioso de Jacques Lacan
  21. Colette Soler – O Inconsciente a céu aberto da psicose
  22. Contardo Calligaris – Introdução a uma clínica diferencial das psicoses
  23. DAMÁSIO, António. O mistério da consciência
  24. Diana L. Corso e Mário Corso – A psicanálise na terra do nunca
  25. Diana L. Corso e Mário Corso – Fadas no divã – Psicanálise nas histórias infantis
  26. ELLIS, Havelock. – Psicologia do Sexo
  27. FROMM, Erich. – O Dogma de Cristo e Outros Ensaios sobre Religião, Psicologia e Cultura
  28. Georg Groddeck – O livro dIsso
  29. Heteridade – Revista de Psicanálise – As realidades sexuais e o inconsciente
  30. Jacques-Alain Miller – Coisas de Fineza em Psicanálise
  31. Jean HyppoliteEnsaios de Psicanálise e Filosofia
  32. Jean Laplanche – Vida e morte em psicanálise
  33. Joel Birman – Cartografias do feminino
  34. Joel Birman – Estilo e Modernidade em Psicanálise
  35. Joël Dor – Estruturas e clínica psicanalítica
  36. JORGE, M. – Fundamentos de Psicanálise, Vol. 1
  37. JORGE, M. Fundamentos de Psicanálise, Vol. 2
  38. KEHL, Maria Rita. – Sobre Ética e Psicanálise
  39. KÜBLER-ROSS, Elisabeth. – Sobre a Morte e o Morrer
  40. LE BON, Gustave. As Opiniões e as Crenças
  41. LE BON, Gustave. Psicologia das Multidões
  42. Luiz A. Garcia-Roza – Freud e o Inconsciente
  43. Luiz A. Garcia-Roza – Introdução à Metapsicologia Freudiana – V. 2
  44. Luiz A. Garcia-Roza – Introdução à Metapsicologia Freudiana – V. 3
  45. Luiz Hanns – A teoria pulsional na clínica de Freud
  46. MARCUSE, Herbert. Eros e civilização
  47. Maria R. Kehl – O tempo e o cão
  48. Maria R. Kehl – Sobre Ética e Psicanálise
  49. MASLOW, Abraham – Introdução à Psicologia do Ser
  50. METZ, C. O significante imaginario – psicanálise e cinema
  51. MOLINA, José Artur. O que Freud dizia sobre as mulheres
  52. Nildo Viana (org.) – Psicanálise, Capitalismo e Cotidiano
  53. Patrick Valas – As dimensões do gozo
  54. Patrick Valas – Freud e a perversão
  55. Pierre Martin – Dinheiro e psicanálise
  56. REICH, Wihelm. A Funcao do Orgasmo
  57. REICH, Wilhelm. A revolução sexual
  58. RIVERA, Tânia. Arte e Psicanálise
  59. TAVARES, L – A Depressão Como Mal-Estar Contemporâneo
  60. TEIXEIRA, M. de Lourdes. Psicologias uma Introdução ao Estudo de Psicologia

Navegue pelo netmundi.org


  1. Página Principal
  2. Livros para Baixar
  3. Músicas clássicas para ouvir e baixar
  4. Lista das falácias mais utilizadas
  5. Blog do Editor
  6. Filosofia Antiga
  7. Filosofia Medieval
  8. Filosofia Moderna
  9. Filosofia Contemporânea
  10. Frases de grandes filósofos

Sugestões de Leitura


  1. Cérebro – investigações filosóficas e científicas
  2. Percepção da realidade – perspectivas filosóficas
  3. Apolíneo e dionisíaco: a criatividade segundo Nietzsche
  4. Saiba a diferença entre Ciência e Filosofia
  5. Saiba a diferença entre Mito e Filosofia
  6. Filosofia da Mente: o problema da consciência
  7. Coleção Primeiros Passos | 46 livros para baixar (PDF)
  8. Antropologia da Religião | 17 livros para baixar (PDF)
  9. Claude Lévi-Strauss | 12 livros para baixar (PDF)
  10. O que é Metafísica?