HOME

Os monges e a mulher no rio

Os monges e a mulher no rio

Relata-se que em um monastério viviam dois monges que eram muito amigos e sempre cumpriam seus afazeres em conjunto. Os dois tinham muita fé em suas crenças e seguiam devotamente todos os mandamentos de sua religião. E, de acordo com suas crenças, eles não podiam nem se aproximar ou mesmo tocar em mulheres.

Certo dia, ao atravessarem a floresta para comprar mantimentos para o monastério, se depararam com uma mulher que estava com dificuldades para atravessar o rio que dava acesso ao vilarejo, e estava prestes a se afogar.

Um dos monges disse:

– Não podemos ajudá-la, fizemos voto de que não poderíamos tocar em mulher alguma.

O outro monge replicou:

– Também fizemos voto de ajudar a todas as pessoas e criaturas deste mundo sem distinção.

Então, este mesmo monge pulou no rio, colocou a mulher em suas costas e a deixou na outra margem. Os dois monges seguiram caminho e durante a jornada houve um grande silêncio.

O monge que não ajudou a mulher estava com semblante pesado e carrancudo e o outro levava sua expressão de serenidade, como era de costume.

Logo, o silêncio foi interrompido pelo monge que não ajudou a mulher, que começou a repreender o companheiro por ter atravessado o rio carregando a moça. Estava fora de si, com o rosto vermelho de tanta raiva.

–  Você não devia tê-la carregado, ela vai ser um peso para sua caminhada!

O outro monge respondeu:

– Eu deixei a mulher na margem do rio, no entanto, você é quem a está carregando.

Autor desconhecido

Navegue pelo netmundi.org


  1. Blog do Editor
  2. Posts sobre Filosofia
  3. Pensamentos de vários filósofos

Sugestões de leitura


  1. O Pensador e o Demonstrador – sobre as crenças pessoais
  2. A água da vida – uma metáfora sobre o egoísmo
  3. O dilema do porco-espinho, de Arthur Schopenhauer
  4. Nossa casa está em chamas
  5. O Cadarço – a loucura segundo Charles Bukowski
  6. O sofrimento e o bem estar segundo Solzhenitsyn
  7. O Sonho dos Ratos, de Rubem Alves
  8. Ozymandias: um poema sobre o poder e o tempo
  9. Os três filtros de Sócrates: o bom uso da razão
  10. Fedro de Platão: O misterioso daemon de Sócrates e o amor platônico
  11. As rotinas criativas dos grandes pensadores