HOME

Sam Harris: “A ciência pode responder questões morais?”

Sam Harris

Nesta palestra do TED, o filósofo Sam Harris faz uma proposta ousada: a ciência pode ser uma referência para os valores morais. Normalmente a ciência não é vista como algo que pode esclarecer a complexa questão dos valores humanos, ficando esta tarefa em maior escala nas mãos da religião, ainda que este seja um dos temas centrais da filosofia. Pois esta é uma das críticas de Sam Harris. Para ele, se estamos até hoje em um labirinto moral violento e relativista, é justamente porque a moral ficou nas mãos da religião. Para o palestrante, a ciência é vista como algo incapaz de responder as questões mais importantes da vida humana, porém, segundo ele, isso é uma ilusão tão grande quanto acreditar que as religiões podem nos entregar valores morais universais.

A base fundamental do argumento de Sam Harris é a ligação entre valores morais em bem estar. Se considerarmos que a construção de uma vida digna para nossos semelhantes é algo importante, então esperamos também que nossos valores nos ajudem nessa tarefa. Tudo isso também se baseia no fato de que sabemos exatamente o que seria uma escolha certa e uma escolha errada, independente de crenças, pois se tratam de fatos objetivos, como por exemplo, sabemos que é errado envenenar a água do vizinho ou mesmo matar, torturar e ofender em nome de alguma religião. E se nos enganamos sobre isso, é justamente porque assentamos nossos valores morais em crenças desconectadas da realidade objetiva. E é justamente a realidade objetiva o campo de pesquisa da ciência.

Durante a argumentação de Sam Harris, várias questões vão surgindo como consequência lógica. Ele busca responder questões sobre a real capacidade da ciência de nos orientar; sobre como a cultura afeta o cérebro e o comportamento humano e de que forma a cultura está baseada tradicionalmente nas religiões. Outra noção fundamental para sua argumentação é a distinção entre uma pessoa fisicamente saudável e uma pessoa doente ou mesmo alguém que está sofrendo, sendo isso uma percepção totalmente objetiva e, portanto, deveria orientar nossas escolhas.

O objetivo deste texto não é listar todos os argumentos de Sam Harris, que são plausíveis e coerentes. O vídeo disponibilizado neste post está com uma ótima tradução em português (selecione no canto inferior direito a opção “legendas”). Minha intenção é despertar o interesse pela palestra desse filósofo. Posso garantir, independente das crenças do leitor, que este é um tipo de argumentação que cresce a cada dia principalmente entre ateus e agnósticos. Seja qual for sua posição — ou onde você assenta seus valores morais — você só tem a ganhar assistindo esta palestra. Seja para se atualizar, concordar ou discordar.

Autor: Alfredo Carneiro
Editor do netmundi.org