HOME

O Dicionário das Tristezas Obscuras

John Koenig criou o Dicionário das Tristezas Obscuras, página que reúne neologismos para emoções que as pessoas sentem mas não encontram palavras. Veja algumas delas neste soturno dicionário (com tradução do site Noosfera):

Adronitis: Frustrar-se com a quantidade de tempo necessário para se conhecer bem alguém.

Aimonimia: O medo de que aprender o nome de algo – um pássaro, uma constelação, uma pessoa bonita – vai estragar tudo. Transformando uma descoberta do acaso, em uma casca conceitual vazia.

Ambedo: Um tipo de transe melancólico no qual você se torna completamente absorto por pequenos detalhes sensoriais – pingos de chuva escorrendo pela janela, árvores altas se dobrando lentamente com o vento, espirais de creme se formando no café – o que, por fim, leva a uma avassaladora constatação da fragilidade da vida.

Anchorage: O desejo de segurar o tempo enquanto ele passa, como tentar se segurar em uma pedra no meio de um rio com muita correnteza.

Anecdoche: Uma conversa em que todo mundo está falando mas ninguém está ouvindo.

Anemoia: Nostalgia de um tempo no qual você nunca viveu.

Anthrodynia: Um estado de exaustão ao perceber o quão horríveis as pessoas podem ser umas com as outras.

Chrysalism: A tranquilidade confortável de se estar dentro de casa durante uma tempestade.

Ecstatic Shock: A onda de energia que surge ao olhar de relance para alguém que você gosta.

Ellipsism: Uma tristeza por não ser capaz de saber como a história vai terminar.

Énouement: A sensação agridoce de ter chegado no futuro, visto como tudo aconteceu, mas não ser capaz de contar para o seu ‘eu’ do passado.

Exulansis: A tendência de desistir de tentar falar sobre uma determinada experiência porque as pessoas são incapazes de se relacionar com ela.

Gnossienne: O momento em que você percebe que alguém que você conhece há anos tem uma vida interna, privada e misteriosa.

Jouska: Uma conversa hipotética que você repete compulsivamente na sua cabeça.

Vemödalen: Frustração ao fotografar algo incrível quando milhares de outras fotos idênticas já existem.

Waldosia: Olhar para todos os rostos em uma multidão, procurando uma pessoa específica que não teria motivo algum para estar aí.

Zenosyne: A sensação de que o tempo está passando cada vez mais rápido.

iStock / kieferpix: A constatação da fragilidade da vida

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*