FILOSOFIA

nietzsche

Nietzsche, socialismo e capitalismo

Não faz sentido que os militantes da esquerda ou da direita utilizem Nietzsche para sustentar coisa alguma. Por mais que a morte de Deus seja algo utilizado pelo ateísmo para lutar contra o “poder alienante e opressor da religião” (que é um projeto de Marx), vale lembrar que na política Nietzsche é simplório: o forte se estabelece e o fraco perece, porém, quando o fraco por uma artimanha toma o lugar do forte, temos uma sociedade medíocre e sem valor. Nivelada por baixo. E ... Leia Mais >>

Arthur Schopenhauer: a ética da compaixão

O filósofo alemão Arthur Schopenhauer introduziu na filosofia ocidental elementos do budismo, que considera compaixão e bondade virtudes fundamentais. Schopenhauer se volta para as dores do mundo de forma existencial, não mais platônica ou kantiana, buscando na compaixão fundamento para a ética, renegando o abstrato imperativo categórico que se baseia no dever. Não tenho reparo em colocar-me em aberta oposição a Kant, que não reconhece bondade ou outra virtude que as derivadas da ... Leia Mais >>

Immanuel Kant e a superação da teologia

Immanuel Kant (1724-1804) é possivelmente um dos pensadores mais importantes da história da filosofia ocidental. Kant conseguiu unir duas correntes filosóficas antagônicas, o racionalismo e o empirismo, e promoveu a “revolução copernicana na filosofia” que colocou o sujeito como participante ativo do conhecimento e não meramente um sujeito passivo ou tábula rasa receptora dos sentidos. Sua obra representa também uma ruptura com o influente pensamento da tradição medieval, uma ... Leia Mais >>

O tropeço de Tales de Mileto, o primeiro filósofo

Platão e Aristóteles relataram alguns fatos curiosos e engraçados sobre Tales de Mileto (623 a.C – 558 a.C), o primeiro filósofo. Platão, em Teeteto, nos conta que certa vez, observando o céu, Tales tropeçou e caiu em um buraco. Uma escrava da Trácia ficou rindo dele, e o primeiro filósofo adquiriu fama de lunático e distraído. Tales observava o céu e o tempo, pois era também astrônomo e exímio observador da natureza (um filósofo da Physis, como eram chamados os ... Leia Mais >>

Nietzsche: vontade de verdade e vontade de potência

A vontade de potência é um dos conceitos centrais da filosofia de Nietzsche. É através dele que este filósofo alemão irá construir sua crítica tanto à filosofia ocidental realizada após Sócrates quanto ao cristianismo. No entanto, para entender a vontade de potência é necessário compreender seu conceito oposto: a vontade de verdade. Vontade de verdade é desejo de fundamento A vontade de verdade é o desejo que motiva o homem a encontrar uma verdade eterna e imutável que ... Leia Mais >>

Arthur Schopenhauer, o filósofo irritado

Arthur Schopenhauer(1788-1860) viveu os últimos 30 anos de sua vida em Frankfurt. Lá este solitário e solteiro filósofo mantinha o hábito de almoçar todos os dias no clube English Holf. A consciência de sua própria genialidade aliada à aversão pelas pessoas criou inúmeras histórias engraçadas. Gostava de conversas interessantes, mas não encontrava ninguém que ele considerasse à sua altura para conversar. Respeitava apenas o escritor e poeta alemão Goethe(1749-1832), outro ... Leia Mais >>

Nietzsche e o eterno devir: “Viva o melhor possível e, só então, morra”

O filósofo alemão Friedrich Nietzsche nos pergunta se a vida que vivemos é a vida que escolheríamos viver eternamente. Chamou esta ideia de “eterno devir” em referência ao filósofo grego Heráclito. Se nossa resposta é negativa, resta a pergunta final: por que então vivemos assim? Por isso Zaratustra — personagem da obra prima de Nietzsche — condena a mediocridade e exorta as pessoas a serem melhores do que são; a se descobrirem, se excederem. Se o mundo é  ... Leia Mais >>

Nietzsche: dimensões humanas e além do homem

Nietzsche afirma que o ser humano tem duas dimensões: a apolínea e a dionisíaca. A dimensão apolínea são nossas funções racionais voltadas para a criação de representações que têm por objetivo a praticidade, o compromisso com a realidade, enquanto que a dionisíaca cria representações sem compromisso com a realidade, na forma de imaginação,  mitos e sonhos. O excesso de razão Essas duas dimensões complementam o homem, e Nietzsche aponta para o erro dos valores da sociedade ... Leia Mais >>