FILOSOFIA

Wittgenstein

Filosofia da Linguagem – Introdução e principais autores

A Filosofia da Linguagem é o ramo da Filosofia que investiga as relações entre mundo, pensamento e linguagem. O sentido das palavras, desde os primeiros pensadores, sempre ocupou um papel importante nas reflexões filosóficas. Contudo, foi somente a partir do século XX que a Filosofia passou a considerar a linguagem como uma investigação filosófica fundamental. Se antes ela era secundária, servindo como base para as reflexões, a partir da Era Contemporânea ela tornou-se o tema ... Leia Mais >>

Wittgenstein: Jogos de linguagem e os besouros nas caixas

A filosofia da linguagem de Ludwig Wittgenstein é o resultado tanto da investigação de si mesmo quanto da relação entre sujeito, linguagem e mundo. Do trabalho criterioso e obsessivo deste pensador nasceu o conceito de “jogos de linguagem“, colocando em xeque qualquer “pretensão de verdade” e demonstrando a ingenuidade de nossas certezas. As caixas com besouros é um dos vários exemplos que Wittgenstein utiliza para explicar a linguagem. Imaginemos que cada um de ... Leia Mais >>

A lápide e a escada de Wittgenstein

Wittgenstein é considerado uma das mentes brilhantes do século XX. Suas investigações filosóficas deram um novo rumo à filosofia, que passou a investigar a linguagem. Era um lógico brilhante e um filósofo obcecado. Em vez de investigar as proposições da filosofia, investigou a proposição em si, avaliando a forma como usamos a linguagem. Morreu antes de seu mestre, o filósofo Bertrand Russell (este viveu até demais). A lápide de seu túmulo, em Cambridge, possui a miniatura ... Leia Mais >>

Ludwig Wittgenstein: o filósofo que matou a Filosofia

A vida do filósofo austríaco Ludwig Wittgenstein (1889-1951) foi tão intensa quanto sua filosofia. Filho de um poderoso industrial, renegou sua herança milionária, pois a riqueza poderia atrapalhar seus pensamentos. Era exageradamente honesto, ingênuo, excêntrico e apaixonado pela filosofia. Qualquer um que não a valorizasse era solenemente desprezado. O máximo de luxo que esse pensador minimalista se permitiu foi um cofre para proteger seus manuscritos. Alistou-se como oficial na ... Leia Mais >>