FILOSOFIA

Filosofia Medieval

A Filosofia Medieval foi desenvolvida principalmente — mas não exclusivamente — na Europa durante a Idade Média (séculos V ao XV). A característica fundamental da Filosofia Medieval é a experiência humana fundamentada na existência do sagrado. Essa perspectiva ficou conhecida como Quaestio Dei (Questão de Deus), que é a busca racional pela verdade que não se contradiz pela fé.

O Paradoxo da Onipotência

O Paradoxo da Onipotência é um argumento que contesta a onipotência de um ser divino. Surgiu na Era Medieval e foi abordado por Tomás de Aquino (1225-1274). Sua forma popular mais conhecida é: “Pode Deus criar uma pedra que não consegue carregar?”. Caso sim, então não é mais onipotente; caso não, nunca foi onipotente. Qualquer que seja a resposta, a conclusão ataca um dos pilares das religiões monoteístas: a ideia de que Deus é onipotente, onisciente e ... Leia Mais >>

Filosofia Medieval – introdução e principais filósofos

A característica principal da Filosofia Medieval é a experiência humana fundamentada na existência do sagrado. Essa perspectiva ficou conhecida como Quaestio Dei (Questão de Deus), que é a busca racional pela verdade que não se contradiz pela fé, mas, pelo contrário, lhe dá um novo sentido. A Filosofia Medieval foi desenvolvida principalmente — mas não exclusivamente — na Europa durante a Idade Média (séculos V-XV).  Para o filósofo dessa época, Deus não seria ... Leia Mais >>

A natureza humana segundo os grandes filósofos

A natureza humana é um típico problema filosófico. A história da filosofia está permeada de propostas acerca deste tema. Muitos filósofos, educadores, intelectuais e governos baseiam suas obras e projetos em torno de uma determinada ideia sobre o que é o homem. O próprio senso comum tem uma certa ideia sobre isso, que varia de acordo com a região do mundo, cultura, religião e momento histórico. Sem uma ideia unívoca sobre o homem, estaremos sempre elaborando teorias, políticas e ... Leia Mais >>

Immanuel Kant e a superação da teologia

Immanuel Kant (1724-1804) é possivelmente um dos pensadores mais importantes da história da filosofia ocidental. Kant conseguiu unir duas correntes filosóficas antagônicas, o racionalismo e o empirismo, e promoveu a “revolução copernicana na filosofia” que colocou o sujeito como participante ativo do conhecimento e não meramente um sujeito passivo ou tábula rasa receptora dos sentidos. Sua obra representa também uma ruptura com o influente pensamento da tradição medieval, uma ... Leia Mais >>

Santo Agostinho e o caminho do homem até Deus

Santo Agostinho (354-430) é um filósofo que representa não apenas o espírito de uma época, marcada pela integração entre fé e razão, mas é também um pensador influenciado pelo confronto inquieto de um homem com sua humanidade. Agostinho traz em si o impulso da busca sincera, da mente inquieta e, como ocorre com a maioria dos filósofos que confrontam-se  com a existência, com uma trajetória de buscas, desilusões e constante investigação. É o filósofo que simbolizou o ... Leia Mais >>

O que é Metafísica?

O termo metafísica surgiu quando Andrônico de Rodes, filósofo grego do século I a.C, organizou quatorze manuscritos de Aristóteles que tratavam das realidades que estão “além da física”. Esta classificação ficou conhecida como Metafísica de Aristóteles, uma das grandes obras da filosofia antiga. A palavra metaphisiké é composta pelos vocábulos gregos meta (além) e physiké (física), indicando o estudo daquilo que está além da natureza, além dos sentidos; que se ... Leia Mais >>