FILOSOFIA

Filosofia Contemporânea

A Filosofia Contemporânea surge a partir do final do século XVIII. Tem como marco a Revolução Francesa, em 1789. Engloba, portanto os séculos XVIII, XIX e XX. A chamada “Filosofia pós-moderna” foi incorporada à Filosofia Contemporânea, reunindo os pensadores das últimas décadas. Esse período é marcado pela consolidação do capitalismo gerado pela Revolução Industrial Inglesa, que tem início em meados do seculo XVIII. Com isso, torna-se visível a exploração do trabalho humano ao mesmo tempo que se vislumbra o avanço tecnológico e científico.

Pierre Bourdieu e a dominação cultural

As contribuições mais relevantes do filósofo francês Pierre Bourdieu (1930-2002) foram no campo da sociologia e antropologia. Sua principal temática foi a dominação cultural, comum no sistemas coloniais e sociedades muito desiguais. Publicou várias obras que o tornaram uma das maiores referências nas ciências humanas. Analisou os esquemas de desculturação dos povos, destacando suas consequências para a cultura, a literatura, a política e a arte. Bourdieu acreditava ... Leia Mais >>

Zygmunt Bauman e a modernidade líquida

Zygmunt Bauman (1925 – 2017) foi um sociólogo e filósofo polonês que realizou uma análise atual e criativa das sociedades contemporâneas. Ficou conhecido principalmente pela sua ideia de modernidade líquida, expondo de forma concisa e esclarecedora a fugacidade das relações do nosso tempo — sejam elas amorosas, comerciais ou mesmo nossas amizades. Em sua análise, Bauman considera fatores diversos como dívidas, cartões de crédito, medo, anorexia e vários ... Leia Mais >>

Jean-Paul Sartre e o existencialismo ateu

O filósofo francês Jean-Paul Sartre (1905-1980) é considerado um dos maiores representantes do existencialismo. Mais especificamente do existencialismo ateu, definição que ele mesmo fazia questão de enfatizar, uma vez que um dos precursores do existencialismo é o filósofo dinamarquês Søren Kierkegaard, que construiu sua filosofia baseada no cristianismo. Para Sartre, o existencialismo deve ser necessariamente ateu, pois uma vez que “a existência precede a ... Leia Mais >>

Rubem Alves: “O professor é um mago”

Rubem Alves (1933-2014) foi teólogo, psicanalista, professor universitário, pastor presbiteriano e pedagogo. Além da sua ampla formação no Brasil, obteve também os títulos de doutor em Filosofia e mestre em Teologia em instituições acadêmicas nos EUA. Além de escrever sobre educação, religião e filosofia, é também o autor de grande número de crônicas, ensaios e artigos. Seus livros foram traduzidos para vários idiomas, e foi considerado um dos escritores brasileiros mais ... Leia Mais >>

Antonio Gramsci e a hegemonia cultural

Antonio Gramsci (1891-1937) foi um filósofo e político italiano considerado um dos mais influentes autores marxistas do século XX. Sua obra realiza uma ampliação das ideias de Karl Marx, principalmente no que tange ao conceito de Estado e sua influência nas instituições culturais. Foi um dos fundadores do Partido Comunista da Itália e deputado pelo distrito de Vêneto. Produziu ensaios sobre teoria política e trabalhou como editor de vários jornais comunistas até ser preso ... Leia Mais >>

Carl Gustav Jung e a psicologia analítica

Carl Gustav Jung foi um psiquiatra suíço fundador da Psicologia Analítica, que até hoje exerce enorme influência devido aos seus conceitos de Inconsciente Coletivo, Sincronicidade, Arquétipos, Complexo, Sombra e Individuação. Suas ideias continuam sendo exploradas em vários tipos de psicoterapias e abordagens teóricas acerca da psique humana, análise de sonhos, mitologia e simbolismos religiosos. Jung dava grande ênfase à natureza simbólica ... Leia Mais >>

Filosofia, psicologia e psicanálise

Apesar da psicologia ser um ramo do conhecimento relativamente jovem, ela possui origens bem antigas. O “estudo da alma” remonta desde os primeiros filósofos gregos até as tradições mitológicas dos povos antigos — hoje consideradas valiosas fontes dos elementos mais profundos da natureza humana. Foi por esse motivo que Hermann Ebbinghaus, um dos primeiros autores da moderna psicologia, afirmou que ela “possui um longo passado, mas uma história curta”. A Filosofia ... Leia Mais >>

Sigmund Freud: introdução à psicanálise

Sigmund Freud foi um médico e neurologista austríaco, fundador da psicanálise. Sua Teoria do Inconsciente representou uma revolução sem precedentes na história da Psicologia e também da Filosofia, pois apresenta o homem não apenas como um ser racional, como declarava Descartes, mas também possuidor de uma dimensão inconsciente, com linguagem própria, fora do controle da razão. O homem racional, que poderia levar a humanidade até um futuro de progresso, liberdade ... Leia Mais >>

Para que serve a Filosofia?

Vivemos uma cultura utilitarista, então, esta é uma pergunta natural: “Para que serve a Filosofia?“. A Filosofia é útil, porém, de uma forma diferente do que espera o senso comum. Sua “utilidade” está no desenvolvimento da razão, da interdisciplinaridade e da autonomia. A Filosofia exige reflexão, estudo constante, domínio da linguagem, diálogo, conhecimento de lógica e experiência de vida. No entanto, essas também são características exigidas de muitos ... Leia Mais >>

A Indústria Cultural: a cultura como produto e alienação

“A Indústria Cultural: esclarecimento como mistificação das massas“, é um capítulo do livro Dialética do Esclarecimento (1944) de Theodor Adorno (1903-1969) e Max Horkheimer (1895-1973). É uma obra importante para a compreensão da arte e da cultura como ferramenta de dominação e alienação das massas, dentro da perspectiva da Escola de Frankfurt. Ainda é considerada uma crítica atual à forma como a produção industrial influenciou a cultura ... Leia Mais >>

Introdução à filosofia de Friedrich Nietzsche

O filósofo alemão Friedrich Nietzsche (1844-1900) é considerado um dos pensadores mais influentes da atualidade; seu estilo poético e enigmático foge da estrutura rígida da filosofia tradicional. Confira abaixo uma seleção de textos sobre os principais conceitos de sua filosofia. Sobre a decadência humana Para Nietzsche, a vida é “vontade de potência”: o desejo de viver de forma plena, autêntica e vigorosa. Por isso o filósofo considerava a perspectiva dos gregos antigos mais ... Leia Mais >>

Filosofia, religiosidade e religião

A religiosidade era entendida pelos filósofos antigos como um tipo de maravilhamento diante do mistério da realidade. Iluministas como Rousseau e Voltaire acreditavam que o homem possui religiosidade natural de bases racionais. A religiosidade, para muitos filósofos, pertence à natureza humana e, como conceito filosófico, independe de qualquer religião. Ainda que religiosos não façam distinção entre religião e religiosidade — e acreditem que só há religiosidade dentro da ... Leia Mais >>
1 2 3 4 5