FILOSOFIA

Teogonia de Hesíodo: o nascimento dos deuses gregos

Teogonia de Hesíodo - o nascimento dos deuses gregos

A obra Teogonia, do poeta grego Hesíodo, é tão importante para a cultura da Grécia Antiga quanto as obras Ilíada e Odisseia, de Homero. Teogonia é um poema mitológico escrito no século VIII a.C. que narra a origem do mundo a partir dos primeiros deuses e o surgimento das gerações sucessivas de deuses e suas relações com os homens. Significa literalmente “nascimento dos deuses” (theos, deus + gonia, nascimento).

Teogonia é um dos mais antigos tratados de mitologia da história do Ocidente. Hesíodo e Homero eram os autores que o antigos gregos utilizavam para aprender a ler e venerar os deuses; suas obras são a base da antiga religião grega e do sofisticado ambiente cultural que propiciou o surgimento da filosofia.

Até hoje a Teogonia é referência cultural da civilização ocidental; seus deuses foram utilizados para nomear continentes, mares, planetas e constelações. Todos os planetas do sistema solar recebem o nome de um deus da Teogonia em sua versão romana. Influenciou a literatura, a filosofia e a psicologia. Hesíodo é também autor de outro poema épico: Os Trabalhos e os Dias.

Da mesma forma que Homero, Hesíodo é um personagem misterioso; seu nome significa “aquele que emite a voz”, e poderia ser, segundo estudiosos modernos, pseudônimo de algum poeta desconhecido. A inspiração sobrenatural descrita por Hesíodo deve ser entendida no contexto cultural e religioso da Grécia Antiga.

Segundo Hesíodo, os poemas da Teogonia lhe foram transmitidos no Monte Hélicon após o poeta homenagear as musas com um canto. As musas então lhe presentearam com um ramo de louros e o conhecimento sobre a origem dos deuses e as façanhas dos antigos heróis, para que fossem celebrados e reverenciados. A própria história de Hesíodo deve ser considerada lendária; é possível que ele tenha registrado na Teogonia a tradição oral que já era transmitida na Grécia Antiga pelos cantores rapsodos.

Os deuses da Teogonia

A sequência apresentada abaixo segue a ordem descrita na Teogonia sobre do surgimento dos mais conhecidos deuses gregos.

Deuses Primordiais


  1. Caos: vazio primordial que antecede a criação
  2. Gaia ou Terra: mãe ancestral da vida
  3. Tártaro: mundo subterrâneo
  4. Eros: amor
  5. Érebo ou Escuridão: nascido do Caos
  6. Nix ou Noite: nascida do Caos
  7. Éter ou Brilho Celestial: filho da união entre Noite e Escuridão
  8. Hemera ou Dia: filha da união entre Noite e Escuridão
  9. Urano ou Céu: nascido de Gaia e primeiro governante do universo
  10. Óreas ou Montanhas: nascido de Gaia
  11. Ponto ou Mar: nascido de Gaia

Os 12 Titãs


Da união entre Gaia (Terra) e Urano (Céu) surgiram 12 Titãs, os deuses pré-olímpicos. São 6 deuses (titãs) e seis deusas (titânides). Existem outros titãs, como Atlas e Perses, contudo, os filhos de Gaia e Urano são mais citados, pois, liderados por Cronos, destituíram Urano.

Titãs

  1. Oceano: rio primordial que circunda o mundo, o mais velho dos titãs
  2. Ceos: titã da inteligência
  3. Crio: titã das constelações
  4. Hiperião: titã do sol, da lua e dos astros
  5. Jápeto: titã da mortalidade
  6. Cronos: titã do tempo; destronou Urano e se tornou rei dos titãs. Cronos castrou o pai e o sangue de Urano caiu na Terra fazendo surgir os gigantes; seus testículos caíram no mar, criando uma espuma que originou Afrodite, deusa do amor e da sexualidade. Urano profetizou que, assim como ele, Cronos seria destituído por um de seus filhos. Devido a essa profecia, Cronos engolia seus filhos.

Titânides

  1. Febe: titânide da lua
  2. Mnemosine: titânide da memória
  3. Reia: rainha dos titãs e companheira de Cronos
  4. Têmis: titânide da justiça
  5. Tétis: titânide do mar
  6. Teia: titânide da visão

Filhos dos titãs Cronos e Reia


  1. Zeus: deus dos raios e trovões; liderou seus irmãos na batalha contra os titãs; destronou seu pai Cronos, realizando a profecia de Urano; tornou-se rei dos deuses do Olimpo
  2. Poseidon: deus dos mares
  3. Deméter: deusa da agricultura
  4. Hades: deus do submundo e dos mortos
  5. Hera: deusa da maternidade e do matrimônio, irmã e esposa de Zeus; rainha dos deuses do Olimpo
  6. Héstia: deusa da família, do lar e da arquitetura

Filhos dos titãs Hiperião e Teia


  1. Hélio: personificação do sol
  2. Selene: personificação da lua
  3. Eos: personificação da aurora

Filhos dos titãs Oceano e Tétis


  1. Oceânides: ninfas do mar
  2. Potamos: deuses dos rios
  3. Liminades: ninfas dos lagos

Filhos dos titãs Ceos e Febe


  1. Leto: deusa do anoitecer
  2. Astéria: deusa das estrelas; uniu-se ao titã Perses e deu origem à Hécate: deusa associada à lua, à feitiçaria e às encruzilhadas.

Filhos de Zeus mais conhecidos


Filhos divinos

  1. Apolo: deus da arte, da música, da luz, da verdade e da profecia; o mais cultuado da Grécia Antiga, filho da deusa Leto, irmão gêmeo de Artêmis.
  2. Artêmis: deusa da vida selvagem e da caça; ligada à magia e à lua, filha de Leto
  3. Atena: deusa da civilização, da sabedoria, da justiça, da inteligência e da estratégia militar; filha da oceânide Métis.
  4. Hermes: deus da eloquência, da comunicação e das viagens; também conhecido como mensageiro dos deuses e guia das almas dos mortos; filho de Maia (umas das filhas de Atlas, titã condenado por Zeus a sustentar os céus)
  5. Perséfone: rainha do mundo subterrâneo, companheira de Hades e filha de Deméter; deusa das estações, dos frutos e das ervas
  6. Dioniso: deus das festas, do vinho, do teatro e da loucura, filho da princesa mortal Sêmele, único semideus do Olimpo.
  7. Musas: filhas de Mnemosine, responsáveis pela inspiração artística; teriam transmitido a Teogonia a Hesíodo.
  8. Moiras: três irmãs que tecem o destino, filhas de Têmis

Filhos mortais (semideuses)

  1. Helena de Troia: a mais bela das mulheres; filha de Leda, rainha de Esparta
  2. Castor e Polux: gêmeos guerreiros filhos de Leda, rainha de esparta
  3. Hércules: Filho de Alcmena
  4. Minos: Filho da princesa fenícia Europa
  5. Perseu: Filho da princesa Dânae

Autor: Alfredo Carneiro – Graduado em Filosofia e pós-graduado em Filosofia e Existência pela Universidade Católica de Brasília.

Referência Bibliográfica

  • HESÍODO. Teogonia – A origem dos deuses. São Paulo: Editora Iluminuras, 1995
  • BULFINCH, Thomas. O Livro de Ouro da Mitologia. Rio de Janeiro: Ediouro, 2002




Navegue pelo netmundi.org