FILOSOFIA

Jean-Paul Sartre: a liberdade reside na escolha

Jean-Paul Sartre

Para o filósofo existencialista Jean-Paul Sartre, o ser humano é condenado a ser livre, e a liberdade reside em escolher e aceitar as consequências de nossos atos. Podemos ainda escolher não escolher; podemos simplesmente não agir, não fazer nada. Porém, ao fazer isso, já estamos escolhendo.

Fugir da escolha, portanto, é impossível. Da mesma forma como fugir da liberdade é também impossível. Seremos sempre forçados a escolher e responsáveis pelos nossos atos. Não fazer nada é uma escolha que, como qualquer outra, traz consequências.

Quando escolhemos entre uma via e outra, normalmente julgamos com base em valores que nos servem de referência. O valor, como um motor, impulsiona o indivíduo a agir.

Entretanto, se não temos valores que nos ajudem a escolher, não temos como evitar a escolha. Por isso muitos valores nascem das escolhas feitas. A partir delas, o homem irá definir sua moral, conforme afirma o filósofo:

“O homem não está pronto logo de início; ele se constrói escolhendo a sua moral. Só definimos um homem com relação à sua escolha.”

Diante desta “liberdade inevitável”, o homem irá definir a si mesmo através das sua ações:

“O homem nada mais é que o conjunto de seus atos, nada mais que a sua vida.”

Por isso Sartre afirma que o existencialismo deve ser necessariamente ateu, caso contrário isso tiraria do homem a liberdade de definir-se através de suas ações e assumir suas responsabilidades:

“De fato, tudo é permitido se Deus não existe. Para começar, o homem não encontra desculpas. Estamos sós e sem desculpas; o homem é responsável por tudo o que faz.”

Leia também no netmundi:

  1. Jean-Paul Sartre e o existencialismo | 17 livros para baixar (PDF)
  2. Pensamentos de Jean-Paul Sartre
  3. Pensamentos de Albert Camus
  4. Pensamentos de Friedrich Nietzche

Navegue pelo netmundi.org