FILOSOFIA

Nietzsche, socialismo e capitalismo

friedric nietzsche

Não faz sentido que os militantes da esquerda ou da direita utilizem Nietzsche para sustentar coisa alguma. Por mais que a morte de Deus seja algo utilizado pelo ateísmo para lutar contra o “poder alienante e opressor da religião” (que é um projeto de Marx), vale lembrar que na política Nietzsche é simplório: o forte se estabelece e o fraco perece, porém, quando o fraco por uma artimanha toma o lugar do forte, temos uma sociedade medíocre e sem valor. Nivelada por baixo. E Nietzsche sustenta que é através da religião e da política que o fraco toma o lugar do forte.

A filosofia de Nietzsche, de Will Durant. Editora Selo de Ouro, 1963. Tradução de Maria Teresa Miranda. pg 93

A filosofia de Nietzsche, de Will Durant. Editora Selo de Ouro, 1963. Tradução de Maria Teresa Miranda. pg 93

Nietzsche tinha ojeriza a qualquer “voz do oprimido”. Além do mais, antes que a direita — chamada de burguesia pela esquerda — utilize esse filósofo para sustentar a meritocracia usando o conceito do forte, vale também lembrar que para ele a tal burguesia não passava de um bando de gente cafona e sem brilho que só pensa em dinheiro e olhe lá. E não adianta usar roupas caras, pois a baixeza de espírito é visível. Melhor para humanidade que nunca tivessem surgido, assim ele sustenta em suas obras. Abaixo segue um exemplo:

A filosofia de Nietzsche, de Will Durant. Editora Selo de Ouro, 1963. Tradução de Maria Teresa Miranda. pg 94

A filosofia de Nietzsche, de Will Durant. Editora Selo de Ouro, 1963. Tradução de Maria Teresa Miranda. pg 94

Quem tentar utilizar Nietzsche como ferramenta política pode se queimar. E ele mesmo deixou o recado: “Aquilo que toco torna-se chama”. Não é um filósofo para os preocupados com dinheiro, religião, igualdade e democracia. Para ele a modernidade nivelou todos por baixo, foi uma tragédia e não tem salvação. Não estou defendendo o bigodudo, sou democrático. Para ele sou medíocre. Mas era assim que ele pensava. E isso deve ser levado em consideração. Os filósofos de esquerda da Escola de Frankfurt também cometeram o erro de incluir Nietzsche em suas pretensões marxistas. É preciso entender que o projeto de Nietzsche é outro, que é o Além-homem, o Übermensch.

Sim, eu sei de onde venho! Insatisfeito como o fogo, ardo para me consumir. Aquilo que toco torna-se chama, e em carvão aquilo que abandono. Sou fogo, com certeza!

— Friedrich Nietzsche

NIETZSCHE, Friedrich. O Anticristo. Editora Escala, 2008. p 17

NIETZSCHE, Friedrich. O Anticristo. Editora Escala, 2008. p 17

Autor: Alfredo Carneiro
Editor do netmundi.org