FILOSOFIA

Epicuro e a filosofia do prazer

Epicuro e a filosofia do prazer

Epicuro de Samos (341 – 270 a.C) desenvolveu uma incrível filosofia do prazer. No entanto,  o prazer para Epicuro era o supremo bem a ser a cultivado com moderação e sabedoria, pois nem todo prazer é digno ser ser desejado, como aqueles que depois causam dor e sofrimento. A privação e a disciplina são coisas valorizadas em sua filosofia, pois proporcionam o prazer de apreciar as coisas simples, belas e suaves da vida. Ele não estava preocupado com outro mundo senão este, e pretendia tornar esta vida possível de ser vivida através da criação de condições para a felicidade plena.  As boas lembranças, cultivadas com a gentileza,  a generosidade e contemplação são também prazeres que tornam a vida feliz.

A filosofia de Epicuro frequentemente é confundida com um hedonismo desenfreado, mas esta é uma interpretação muito equivocada. Apesar de ser classificada como um tipo de hedonismo, devemos tomar muito cuidado quando se trata da filosofia de Epicuro. Conforme foi dito acima, muitos prazeres nocivos devem ser evitados. Epicuro exige uma disciplina e privação que praticamente são um tipo de ascetismo. Conforme acreditava este filósofo, sem esta austeridade não se atinge o verdadeiro prazer de viver bem. Se buscarmos sempre o prazer, entramos em um ciclo interminável de prazer insaciável e sofrimento.

Epicuro tinha uma ampla propriedade em Atenas, com um belo jardim, onde seus discípulos se reuniam para assistir suas aulas.  A fama deste filósofo, reconhecidamente gentil, generoso e afetuoso como todos que o procuravam, atraiu discípulos de todas as partes em busca de um remédio para os sofrimentos da vida. Na entrada da propriedade estava a seguinte inscrição “Hóspede, aqui serás feliz“.  A filosofia suave e tranquila de Epicuro atravessou os séculos e permanece viva e atual. Nietzsche, em uma de suas obras, o chamou de “esse Deus dos jardins“.

Visite a categoria Epicuro no Netmundi e leia várias frases do filósofo de Samos. Saiba como a infância de Epicuro, ligada à natureza e ao ambiente simples e familiar, o ajudaram a desenvolver sua filosofia. 

Autor: Alfredo Carneiro
Editor do netmundi.org
twitter:@alfredo_mrc

Você pode apoiar este projeto clicando na propaganda abaixo. Muito obrigado!