FILOSOFIA

Descartes: “Espero que seja ele útil a alguém”

René Descartes

Neste trecho do livro Discurso sobre o Método, o filósofo francês René Descartes (1596-1650) alerta que seu método foi criado para orientar sua razão, e que não espera que sirva para todos, mas acredita que ele pode ser útil a alguém. Porém, seu método de investigação racional tornou-se a base da investigação científica moderna. Sua influência foi tão fundamental que Descartes é considerado o pai da modernidade.

Tive muitas oportunidades de me encontrar, desde a mocidade, em certos lugares que me levaram a conhecimentos e considerações com os quais criei um método que me proporcionou o gradativo aumento de meu conhecimento, e levá-lo, gradualmente, ao máximo de grau que a mediocridade de minha mente e a breve duração de minha vida poderiam atingir.

Dele consegui resultados tais que, de acordo com o juízo que faço de mim mesmo, antes desejo inclinar-me para a desconfiança do que para a arrogância. Observando, com vista de filósofo, as diferentes ações e empreendimentos de todos os homens, não descubro quase nenhuma que não considere vã e inútil, ainda que não deixe de sentir imensa satisfação pelo progresso que acredito já ter realizado na pesquisa da verdade que, se dentre as atividades humanas, alguma de fato haja boa e importante, ouso crer que seja essa que eu escolhi.

Há muita possibilidade de que eu esteja enganado, e talvez não passe de cobre e de vidro o que eu julgo ser ouro e diamante. Bem sei o quanto estamos sujeitos a erros sobre aquilo que nos diz respeito, e devemos desconfiar dos bons juízos que nossos amigos fazem de nós.  Terei, entretanto, a satisfação de demonstrar, neste discurso, quais os caminhos que percorri, e de apresentar a minha existência com em um quadro, para todos poderem julgá-la e para que, conforme a opinião geral, eu adquira novos meios de me instruir que somarei aqueles que costumo usar.

Deste modo, não é propósito meu ensinar aqui o método que cada um deveria seguir para bem orientar sua razão, porém somente demonstrar de que modo eu procurei conduzir a minha. Os que se propõem a oferecer normas, devem considerar-se mais capacitados do que aqueles que a recebem. Contudo, propondo-se este escrito apenas a ser uma história ou, se quiseres, uma fábula, na qual dentre alguns exemplos que mereçam ser imitados, pode ser que se achem outros que seja melhor não seguir, espero que seja ele útil a alguém, sem causar mal a quem quer que seja, e que todos se sintam gratos a mim pela minha franqueza.

Você pode apoiar este projeto clicando na propaganda abaixo. Muito obrigado!